Educação

Sortimento do varejo otimizado para crescer na realidade desafiadora de 2022

Educação

Sortimento do varejo otimizado para crescer na realidade desafiadora de 2022


Acertar a gôndola e o corredor é cada vez mais complexo para varejistas e fabricantes. Para permanecerem competitivas em 2022, as empresas precisam parar de ser reativas, começar a analisar melhor, tomar decisões mais rápidas e estrategizar proativamente as abordagens nas gôndolas, sortimento e espaço.


Realidades dos shoppers em 2022 – pós Covid e inflação

Duas categorias de shoppers emergiram da pandemia. O primeiro grupo, o de shoppers isolados, não foi afetado financeiramente pela Covid. Eles não têm feito orçamentos para férias, para comer fora, ou gastar em entretenimento. Mas com a inflação impactando nossa realidade, isto pode mudar nos próximos meses de 2022. 

O segundo grupo, os Constrained Shoppers, aqueles afetados negativamente pela Covid, tiveram que cortar seus orçamentos já em 2022. Eles estão indo com menor frequência às lojas e se abastecendo com embalagens maiores quando fazem compras. A restrição financeira que enfrentam todos os dias com o aumento dos preços dos alimentos pode interferir em suas viagens normais de compras e exigir ofertas mais precisas em diferentes níveis de preços. 

Como os varejistas se ajustam a estes novos desafios do consumidor para otimizar seus sortimentos para ambos os tipos de shoppers em 2022?


Estratégias de sortimento e merchandising que não funcionam

Enquanto fabricantes e varejistas estão lutando para descobrir quais informações funcionarão para fazer melhores escolhas de sortimento, há algumas estratégias que não estão funcionando. 

Às vezes menos é mais na gôndola 

Alguns fabricantes são bem sucedidos ao enviar mais produtos para o mercado e impulsionar o crescimento do market share. No entanto, muitos descobrem que gastar uma enorme quantidade de dinheiro para trazer produtos ao mercado cria uma perda nos negócios e no market share. A pesquisa da NielsenIQ mostrou que produtos duplicados ou similares nem sempre ajudam. “Menos é mais” nunca foi uma máxima tão importante como agora.  

O rearranjo na gôndola nem sempre ajuda 

Os varejistas estão descobrindo que mais de 50% dos produtos de reposição nas gôndolas não são bem sucedidos e, na verdade, após a reposição, geram menos receita do que antes. Os varejistas estão gastando muitas horas em rearranjos que acabam alcançando um crescimento negativo.  

Uma relação “comercial” leva a gôndolas desordenadas 

A relação entre varejista e fabricante pode ser conflitante quando se trata de sortimento. Quando essa dinâmica é uma relação “comercial” em vez de “estratégia”, as prateleiras se tornam desorganizadas. 

O ideal é que o fabricante e o varejista trabalhem juntos para criarem uma estratégia de sortimento que atinja objetivos comuns. Em vez disso, os fabricantes muitas vezes investem em marketing para colocar o maior número possível de seus produtos nas prateleiras, alcançando apenas seus objetivos sem considerar uma otimização mais ampla. Isto cria desordem. Os varejistas se beneficiariam da mudança para uma estratégia que vai além da simples negociação de acordos individuais com as marcas e se concentra no quadro geral.

Mas para fazer isso, eles precisam de uma visão integrada de todos os aspectos da gôndola e da arquitetura do sortimento.  

Person refining their assortment

Faça com que a sua gestão de sortido funcione para si

À medida que a gestão de sortido se complexifica, os seus concorrentes estão atentos a cada oportunidade. Posicione-se na linha da frente com estratégias proativas e soluções que simplificam a complexidade de um mercado de retalho e de uma indústria em mudança.


O que os varejistas e fabricantes podem fazer para avançar com as decisões de sortimento em 2022 

Muitos varejistas estão hesitantes em executar novos planos e seguir em frente com estratégias de sortimento. Muitas vezes há conflito entre as equipes de marketing, pesquisa e vendas sobre a visão estratégica versus a execução de planos. Também há hesitação em tomar decisões durante o que pode ser considerado um período de “tumulto”. Embora isto seja compreensível, há algumas maneiras de seguir avançando.

Busque maiores conjuntos de dados de pesquisas integrados para lojas

É insuficiente examinar os dados de uma única loja. É essencial encontrar parceiros de pesquisa que possam localizar dados para um conjunto mais amplo de lojas em uma área. Os dados granulares permitem obter resultados únicos para clusters de mercado específicos e medidos conforme mudam, em tempo real. Com estas informações, os varejistas podem determinar as implicações únicas de cada cluster, em vez de simplesmente olhar os dados em um nível agregado.  

Use simulação para prever os resultados de vendas  

A melhor maneira de simplificar a complexidade do sortimento é realizar simulações. O software de modelagem pode ser utilizado para prever o que acontecerá quando, por exemplo, o sortimento for alterado pela adição ou retirada de itens, ou quando determinados segmentos crescerem, ou ainda quando houver mudanças de equilíbrio em direção a uma determinada marca.  


Não se resigne a “esperar para ver” o sortimento 

No ambiente desafiador de 2022, os varejistas precisam encontrar maneiras de simplificar o sortimento e a complexidade do merchandising enquanto se adaptam a diferentes tipos de shoppers. Eles precisam ter a opção de tomar decisões estratégicas mais rapidamente, na frente de seu laptop, e ajustar a gôndola conforme a dinâmica atual.

Em vez de adotar uma abordagem passiva, as mudanças de sortimento precisam ser feitas agora para que os varejistas possam otimizar e responder às pressões inflacionárias, às necessidades dos consumidores e aos efeitos da pandemia. Gôndolas eficientes significam custos operacionais mais baixos, resultando em maiores chances de permanecerem lucrativos.